Preview

Ибероамериканские тетради

Расширенный поиск

A formação política do Brasil e o processo da democracia inercial

https://doi.org/10.46272/2409-3416-2016-4-40-57

Полный текст:

Аннотация

O artigo analisa a cultura política do Brasil, a visão do brasileiro em relação à democracia e às instituições políticas. Após 24 anos de ditadura militar, em 1988, o país retoma o caminho democrático com pro-cessos eleitorais regulares e alternância no poder. A redemocratização no Brasil, a partir dos anos 80 do século XX, no entanto, não foi suficiente para construir um sentimento de confiança na política. A desconfiança com a política se acentua no país, gerando incongruências entre instituições, valores democráticos e desconfianças na política. Quais seriam as razões para este paradoxo? Discutimos, no artigo, o conceito de democracia inercial, criado pelo cientista político Marcello Baquero, como uma característica marcante no atual momento político do país. Assim, analisamos a história da formação política do Brasil, destacando a forte presença do Estado, da desigualdade social e da combinação entre autoritarismo e liberalismo, além dos elementos sistêmicos de corrupção e cidadania passiva.Concluímos que os brasileiros mantêm o padrão de desconfiança nas instituições e que as conjunturas políticas vêm agravando esse sentimento resultando em uma democracia inercial por parte da cidadania brasileira.

Об авторах

Marcello Baquero

Россия


Sonia Ranincheski

Россия


Henrique Carlos De O. De Castro

Россия


Список литературы

1. ALMOND, Gabriel; VERBA, Sidney. The Civic Culture: Political Attitudes and Democracy in Five Nations. Princeton: Princeton University Press, 1963

2. Debate, Belo Horizonte, v. 2, n.7, p. 6-10, jul. 2010

3. BAQUERO, Marcello. Subsídios para a compreensão da cultura política - eleitoral da democracia brasileira. Revista Política e Sociedade. № 10, abril de 2007

4. BAQUERO, Marcello. Eleições e capital social: uma análise das eleições presidenciais no Brasil (2002-2006). Opinião Pública, Campinas, v. 13, n. 2, p. 231-259, Nov. 2007

5. BAQUERO, Marcello. (a). A desigualdade política na América Latina. Bases para construção de uma cultura política participativa. Trabalho apresentado no Seminário Internacional de Ciência Política da UFRGS: Democracia em Debate, de 3 a 5 de setembro de 2008

6. BAQUERO, Marcello. (b). Democracia formal, cultura política informal e capital social no Brasil. Opinião Pública, Campinas, v. 14, p. 380-413, 2008

7. BAQUERO, Marcello. Political Culture and electoral process in Brazil: What’s new? Cultura política e processo eleitoral no Brasil: o que há de novo? Em Debate: v. 2, n.7, p. 6-10, jul. 2010

8. BAQUERO, Marcello. A dimensão oculta da democracia latino-americana: A inércia e formas para superá-la. 2014. 122p. Tese para titulação de professos titular do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, dez. 2014

9. BLONDEL, Jean. Party Government, Patronage and Party Decline in Western Europe. In: GUNTHER, Richard; MONTERO, José Ramón; LINZ, Juan (Eds.). Political Parties: Old Concepts and New Challenges. - Oxford: Oxford University Press, 2002

10. BRATTON, Michael; VAN DE WALLE, Nicolas. Democratic Experiments in Africa: Regime Transition in Comparative Perspective. - Cambridge: Cambridge University Press. 1997a

11. CARVALHO, Fernanda C. de. Mídia e as eleições: as entrevistas do Jornal Nacional aos candidatos à residência do Brasil em 2014. In Aurora: revista de arte, mídia e política. São Paulo, v.7, n. 21, p. 7-25, out. 2014-jan. 2015

12. CARVALHO, J.M. A cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001

13. CASTRO, Henrique Carlos de O. de. A Democracia Em Cheque: Problema Local Ou Global. In: Rita Terezinha Schmidt. (Org.). Nações/narrações: nossas histórias e estórias. Porto Alegre: ABEA, 1997, v., p. 85-93

14. CASTRO, Henrique Carlos de O. de. As Novas Redes Sociais e o Sindicalismo ( ou novas roupagens para antigas formas de fazer política). In: CESIT/ UNICAMP e UGT. (Org.). Sindicalismo Contemporâneo: Uma nova visão para o movimento sindical Brasileiro. 1ed. São Paulo: Salinas, 2014 (a), v., p. 182-191

15. CASTRO, Henrique Carlos de O. de. Cultura Política Comparada: democracia e mudanças econômicas: Brasil, Argentina e Chile. Brasília: Verbena, 2014 (b)

16. CASTRO, Henrique Carlos de O. de. Sectarismo e despolitização. Carta de Brasília, Ano II, número especial, 27 de outubro a 02 de novembro, 2014 (c)

17. CLAPHAM, C. Third World Politics. London: Helm. 1985

18. DAHL, Robert A. A Preface to Democratic Theory. Chicago: The University of Chicago Press, 1956

19. DAMATTA, R. “Reflexões sobre o público e o privado no Brasil: um ponto de vista perverso”. Caderno de Ciências Sociais. Belo Horizonte, v.3, nº. 3, p. 51-59, abr.1993

20. FAORO, Raymundo. Os donos do poder: Formação do Patronato Político Brasileiro. 7 ed. Porto Alegre, Globo, 1979

21. FONSECA, P.C.D. The articulation regional-national and the origins of «Revolution of 1930». In: Ranincheski, S.; Negri, C.; Mueller, C. (Org.). The Brazilian Economy in Historical Perspective. - Brasilia, 2011, v. 1, p. 13-27

22. HARDIN, Russell. The Crippled Epistemology of Extremism. In: BRETON, Albert; GALEOTTI, Gianluigi; SALMON, Pierre; WINTROBE, Ronald (Eds.). Political Extremism and Rationality. - Cambridge: Cambridge University Press, 2002. p. 3-22

23. HOLANDA, S. B. de. Raízes do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1980

24. IGNAZI, Piero. Power and the (il)legitimacy of political parties: An unavoidable paradox of contemporary democracy. Sage Journals, 2013. Disponível em: <http://ppq.sagepub.com/content/20/2/160>. Acesso em 13 mar. 2014

25. INGLEHART, Ronald. The silent revolution: changing values and political styles among Western publics. - Princeton: Princeton University Press, 1977

26. KATZ, Richard; MAIR, Peter. The ascendancy of the party in public office: party organizational change in twentiethcentury democracies. In: GUNTHER, Richard; MONTERO, José Ramón; LINZ, Juan (Eds). Political Parties: Old Concepts and New Challenges. - Oxford: Oxford University Press, 2002

27. KORNHAUSER, William. The politics of mass society. Glencoe: Free Press, 1959

28. LEAL, V. N. Coronelismo, enxada e voto: o município e o regime representativo no Brasil. - São Paulo: Alfa-Ômega, 1978

29. LEVI, Margaret. Conscription: The Price of Citizenship. In: LEVI, Margaret; ROSENTAL, Jean-Laurent; WEINGAST, Barry R. Analytic Narratives. - Princeton: Princeton University Press, 1998, p. 109-147

30. MAIR, Peter. The freezing hypothesis, an evaluation. Em: KARVONEN L. & KUHNLE, S (eds.). Party systems and voter alignments revisited. - New York. Routledge, 2001, pp: 27-44

31. MARSHALL, Thomas H. Cidadania, Classe Social e Status. - Rio de Janeiro: Zahar, 1967

32. MENEGHELLO, Raquel. Revista Pesquisa Fapesp, № 86, Setembro 2015

33. MILL, John, Stuart. Considerations on the representative government. In: ROBSON, J. M. Collected Works of John Stuart Mill. - Toronto: University of Toronto Press, 1977

34. MISHLER, William; ROSE, Richard. Political Support for Incomplete Democracies: Realist vs. Idealist Theories and Measures. International Political Science Review, v. 22, n. 4, p. 303-320, 2001

35. NUNES, E. A gramática política do Brasil: clientelismo e insulamento burocrático. - Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997

36. PNUD. La democracia en América Latina: Hacia una democracia de ciudadanas y ciudadanos. - New York: Programa de las Naciones Unidas Para el Desarrollo (PNUD), 2004

37. POWER, Timothy; JAMISON, Giselle. Political Mistrust in Latin America. Comparative Sociology, v. 4, n. 1-2, p. 55-80, 200

38. PYE, Lucian. Introduction: Political Culture and Political Development. In: PYE, Lucian; VERBA, Sidney (Eds.). Political Culture and Political Development. - Princeton: Princeton University Press, 1965, p. 9-27

39. RANINCHESKI, Sonia; SILVA, Carla EtieneMendonça da. Hegemonia, consenso e coerção e os beneficiários do Programa Bolsa Família. Revista Katálysis, v. 16, p. 111-121, 2013

40. RANINCHESKI, Sonia; CASTRO, Henrique. Carlos de O. de Castro. Revista Perspectivas do Desenvolvimento Um enfoque multidimensional. RPD. Brasília. № 1, 2013

41. ROSE, R. and SHIN, D. C. “Democratization backwards: The problem of third-wave democracies”. British Journal of Political Science, nº. 31, p. 331-354, 2006

42. SARTORI, G. Parties and Party Systems: A Framework for Analysis. Cambridge: Cambridge University Press. 1976

43. SU, Yen-Pin. Anti-government protests in democracies. A test of institutional explanations. Comparative Politics. January 2015, pp. 149-167

44. HOLANDA, Sergio Buarque de. Raízes do Brasil / Sérgio Buarque de Holanda. - 26. ed. - São Paulo: Companhia das Letras, 1995

45. FAORO, Raimundo. Os donos do poder... 3 ed. - Rio de Janeiro: Globo, 2001


Для цитирования:


Baquero M., Ranincheski S., De O. De Castro H.C. A formação política do Brasil e o processo da democracia inercial. Ибероамериканские тетради. 2016;(4):40-57. https://doi.org/10.46272/2409-3416-2016-4-40-57

For citation:


Baquero M., Ranincheski S., De O. De Castro H.C. The political formation of Brazil and the process of the inertial democracy. Cuadernos Iberoamericanos. 2016;(4):40-57. (In Russ.) https://doi.org/10.46272/2409-3416-2016-4-40-57

Просмотров: 233


Creative Commons License
Контент доступен под лицензией Creative Commons Attribution 4.0 License.


ISSN 2409-3416 (Print)
ISSN 2658-5219 (Online)